Gravidez: Registros fotográficos

Não sei se isso acontece só comigo, ou se outras grávidas passam pelo mesmo, mas estou morrendo de preguiça de fotos! Não sei por que… No primeiro trimestre, antes de me adaptar a minha nova silhueta, me sentia horrível em qualquer foto! No 5º mês de gravidez, quando comecei a me sentir mais bonita e animada, achei que isso melhoraria, mas não aconteceu! Foi aí que eu percebi que tinha pouquíssimas fotos grávida, para colocar no álbum da gestação (vou falar sobre isso num post futuro). Mesmo assim, continuei dominada pela preguiça, evitando fotos só pra não ter que me arrumar um pouco mais, ter que escolher roupa, procurar um lugar interessante, ter que ir até esse lugar, ter que fazer poses em público, enfim… Procrastinação pura, confesso! Espero que outras grávidas me entendam…

O problema é que o 6º mês passou voando e, quando me dei conta, já estava a caminho do 7º, ainda com poucos registros fotográficos da gravidez! Me vi obrigada a vencer a preguiça e me deixar ser fotografada… Porém, pra tornar isso um pouco mais fácil pra mim, decidi fazer isso da maneira mais simples possível, no conforto da minha casinha. No domingo a tarde, dei uma ajeitada na juba, fiz uma maquiagem simples, para dar um ar mais saudável, e tentei pensar numa roupa que fosse ficar legal nas fotos. Na sala da nossa casa mesmo, usando a câmera do meu celular, o Talles me fotografou. Para ele posar comigo, ligamos o timer e fizemos uma gambiarra, com ajuda de um tripé e durex, para apoiar o celular! (ahahaha, sério!) Do celular mesmo, já apliquei um filtro (rose) no app de fotos que eu mais gosto (Câmera 360) e tcharã!

Adorei o resultado! Achei que, mesmo simples, com cenário improvisado, as fotos ficaram bem bonitinhas e delicadas! No fim das contas, valeu a pena vencer a preguiça… Já quero mais e o álbum da Lívia agradece! 🙂

Anúncios

Gravidez: Primeiras mudanças

No meu corpo, o primeiro sinal da gravidez foi uma cólica bem leve, que senti por volta da terceira semana. Foi ela que me motivou a fazer o teste de farmácia, mesmo sem atraso menstrual! Por um momento, essa cólica me fez acreditar que eu estava enganada e iria sim, menstruar naquele mês. Depois do resultado positivo, a cólica me preocupou, foi aí que consultando a internet, descobri que é um sintoma comum no princípio da gravidez.

 A segunda mudança foi o aumento dos seios. Com menos de 2 meses de gravidez, pulei do tamanho 42 para o 46. Senti muito desconforto! Além do peso, todos os sutiãs me apertavam e a pele da região coçava muito. Todo mundo dizia pra não coçar, nem comprar sutiãs maiores, segui as dicas enquanto pude, mas não teve jeito! Se eu não tivesse comprado um sutiã maior, ou me coçado em um momento ou outro, eu teria pirado! Consequência disso ou não, surgiram muitas estrias! No começo fiquei triste, porque sou bem fã de um decote e considerava meus seios a parte mais legal do meu corpo… Depois, o desconforto passou e eu me esqueci delas! Li alguma coisa sobre isso e, segundo dermatologistas, a coceira já é um sinal do desgaste da pele e do surgimento das estrias, logo não faria diferença ter me coçado ou não. Também li que pode ser uma tendência hereditária e eu acho mesmo que pode ser: Minha mãe e minha irmã também sofreram com as estrias nessa região! Em compensação, não têm nenhuma na barriga e eu tenho seguido pelo mesmo caminho. (Ainda bem!)

Meu cabelo ficou horrível durante as primeiras 15 semanas! Até cortei um pouco pra ver se ajudava, mas não adiantou muito! Só no quarto mês de gestação ele voltou a ficar aceitável, quando arrisquei deixá-lo secar ao natural. Agora, com 26 semana, ele está cada dia mais bonito! Nem me preocupa mais sair de casa com ele ainda molhado…

Outra mudança foram os enjoos! Comecei a ter enjoos por volta da 6ª semana de gravidez e prossegui enjoando e vomitando até o final do terceiro mês, principio do quarto! Detalhe: quando eu conseguia comer algo sem vomitar, ficava completamente empanzinada, sem vontade de comer pelos próximos 2 dias.

Depois dos enjoos veio uma fome avassaladora, que vinha exatamente de duas em duas horas, feito um despertador! Ao invés de ficar anos digerindo a mesma comida, minha digestão parecia super acelerada e eu parecia sempre pronta para a próxima refeição… Ao contrário do que a maioria espera da uma grávida, não senti nenhum desejo estranho, mas notei que meu apetite por tomates e maçãs aumentou muito. Sempre gostei de tomate, mas comecei a gostar ainda mais… Só uma pitadinha de sal e pronto! Com duas mordidas conseguia comer meio tomate, nem me dava ao trabalho de picá-lo para a salada. Maçã nunca foi minha fruta preferida, mas de repente comecei a achar o sabor especial, docinho e refrescante! Agora não falta aqui em casa…

Falando em doces, logo que a minha fome se normalizou, veio junto uma vontade absurda de doces! Principalmente por bolos, ainda mais se for um daqueles de festa, cheio de recheio e glacê… Só de pensar minha boca enche d’agua! Huuuuuuum…

A mudança física mais significativa e mais esperada pelas grávidas ficou para o final: A barriga! No primeiro trimestre eu já senti o corpo diferente, inchado… Me sentia muito feia, sem vontade de me arrumar! Rapidinho meus jeans, a maioria de cintura alta/intermediária, começaram a ficar desconfortáveis e apertados. Minhas roupas ficavam feias em mim.  Meu rosto inchou muito, ficou bem redondo, meu nariz principalmente! ahahah. Com 15 semanas eu já tinha cara de grávida, mas corpo, não! Não importava o que eu vestia, sempre parecia gorda, não grávida… Já me falaram que o fato de eu estar grávida de uma mocinha contribuiu pra que eu ficasse tão redonda e sem vaidade, dizem que quando se está a espera de um menino, a grávida fica mais fininha e vaidosa. Não sei se isso tem fundamento, mas é o que dizem! Graças a Deus essa fase passou e, após o 4º mês, eu fiquei mais animada e disposta! O álbum de gestação da Lívia agradece, né? 🙂 Minha barriguinha tomou forma e decidiu dar as caras só no final do quinto mês, princípio do sexto, ou seja, a pouquíssimo tempo! Mesmo assim, as pessoas ainda ficam em dúvida sobre a origem do meu volume abdominal! ahahaha

Com o crescimento da barriguinha, surgiu a dificuldade para encontrar o que vestir! A principio comprei e ganhei alguns vestidos, era o que ficava mais confortável e visualmente aceitável. O problema é que vestidos são peças marcantes! Se você quer tirar muitas fotos, não dá pra ficar usando os mesmos sempre… Fora que, a medida em que a barriga cresce, o vestido sobe e, se ele for curto, acaba ficando curtíssimo, uma marmota! ^^’ Não pretendo comprar nada específico para gestantes, acho bobagem já que a fase é passageira! Então vou adaptar até o fim da gravidez… Tem dado até o momento! Tenho apostado nas saias com blusinhas soltinhas para o dia a dia, que eu já tinha antes de engravidar. Quando não dá pra usar saia, vou de legging, que é uma opção quase que obrigatória para as grávidas, e eu detesto! Como é o que tem de mais confortável, não reclamo… Deixo os vestidos para as saídas em que eu pretendo registrar a evolução da barriguinha. Acho que é o tipo de roupa que valoriza mais a grávida e faz com que eu me sinta mais elegante.

 assinatura post

De repente grávida!

Nosso primeiro encontro, nosso noivado e primeira foto grávidos!

Conheci o Talles há pouco mais de 3 anos, com 4 meses namorando passamos a morar juntos. Ele deixou a casa da mãe para ir morar na minha, a princípio, temporariamente. Eu estava vivendo um momento muito difícil e a presença dele foi fundamental para que eu aprendesse a conviver com uma nova realidade. Por muitas vezes, foi ele quem me apontou novas direções, ou assumiu pra si os meus problemas. Não sei se teria conseguido sem ele! As dificuldades que enfrentamos nos uniram e fortaleceram nossos laços. Com pouco tempo juntos eu já tinha certeza absoluta, de que ele era o marido com que sempre sonhei, e de que ele seria um ótimo pai para os filhos que eu gostaria de ter!

Não foi uma experiência fácil, não só pelas circunstâncias! É muito difícil ocupar o mesmo espaço que uma pessoa completamente diferente de você, mas conseguimos consolidar um relacionamento estável, baseado em muita amizade, confiança e respeito. Cada um com seu espaço e sua liberdade… Hoje a gente conta nos dedos as brigas sérias e raramente se lembra quando foi a última briga boba! Nunca demos tempo, nunca terminamos, enfrentamos todos os momentos ruins juntos, com muito diálogo, carinho e bom humor! Tudo se torna mais fácil se você ama e admira, de coração, a pessoa com quem escolheu estar… Literalmente, escolhemos um ao outro! Fiz essa escolha consciente de quem ele era e, principalmente, de quem eu era ao lado dele, de quem eu gostaria de ser por ele…

Há seis meses havíamos nos mudado para uma outra casa, só nossa, quando uma novidade redirecionou todos os nossos planos. No dia 10 de janeiro descobri que estava grávida! A minha menstruação nem tinha atrasado ainda, mas dentro de mim eu já sentia que ela não chegaria. Fiquei uma semana inteira fazendo contas, para ter certeza de que realmente não estava atrasada! No sábado, não aguentei a ansiedade e compramos um teste de gravidez na farmácia. A segunda listrinha era quase invisível, mas estava lá… Fizemos mais um teste  e, na segunda-feira, fomos ao laboratório fazer um exame de sangue. Positivo! Eu estava grávida sim, pelas minhas contas, há três semanas!

teste-positivo

Quase invisível, mas a segunda listrinhas está lá: Positivo! 😮

No primeiro momento levamos um susto! Ter filhos sempre foi nosso sonho, mas era um plano distante. Ainda não estávamos preparados para ter um bebê, nem havíamos nos casado ainda! O cenário era o mais complicado possível, mas era um bebê… Um bebezinho! Uma vida crescendo dentro da minha barriga, um pedacinho de nós dois… Era impossível não nos derretermos! Rapidinho a novidade entrou na rotina e se tornou o centro dos planos! Materialmente eu não estava preparada para ser mãe, mas em meu coração, eu tinha certeza de que faria todo o possível para proporcionar ao nosso bebê o conforto que ele precisaria para o nascimento. Já me sentia muito mãe! Com menos de um mês, as coisas pareciam mais simples… Nossa família deu todo o apoio possível, o Talles conseguiu o estágio que buscava e tudo se acalmou!

A chegada de um bebê abriu muitas portas e mudou minhas perspectivas para melhor… Adiamos alguns planos, mas não significa que não os realizaremos! Nossa vida está apenas começando, ainda temos muito tempo pela frente… Talvez, o fato de ter um filho nos motive ainda mais a lutar por esses projetos futuramente. Compartilhar essas realizações com nosso bebê pode torná-las ainda mais prazerosas, além de servir de ensinamento para ele… Sabemos que ser pais não é uma tarefa simples ou fácil, mas é preciso encarar os fatos de maneira positiva, para conseguir perceber as boas recompensas que a vida proporciona! Para nós, um filho é muito mais do que uma recompensa, é uma benção, um presente de Deus, uma dádiva para a vida toda!

gravidinhos

16, 19 e 26 semanas de gestação! 🙄

Estar grávida é transformador! A cabeça e o corpo mudam o tempo todo, mas de todas as mudanças, a mais importante tem sido a proximidade das pessoas que nos querem bem! Quanto calor e carinho temos recebido dos nossos familiares e amigos, mesmo os distantes… Isso não tem preço! Me sinto uma pessoa de sorte! Isso só se confirmou quando, com 13 semanas – no ultrassom de translucência nucal, descobrimos que estamos a espera de uma menininha. Sempre nos imaginamos pais de uma mocinha! O nome, que já estava escolhido há muito tempo, será Lívia! Não é um sonho?! 😀

Como resistir a essas fofuras?

Como resistir a essas fofuras? ❤

Nas próximas postagens pretendo relatar tudo sobre essa nova fase. Os meus dramas e delícias da maternidade! Quero registrar os acontecimentos que precederam a chegada da nossa pequena, para que ela possa ver futuramente que, apesar das dificuldades, esperar por ela tem sido a experiência mais linda que já vivenciei. Espero muito que goste!

assinatura post